A ferrovia em Portugal

O CDS vai amanhã percorrer o país de norte a sul para denunciar o caos e as imensas falhas da ferrovia

 

 

 

 

Anúncios

Eleições Europeias

 

 

 

 

 

 

Corridas de touros em Portugal

Intervenção do deputado Telmo Correia durante a discussão do Projeto de Lei n.º 879/XIII/3.ª (PAN) Determina a abolição de corridas de touros em Portugal

 

 

 

 

 

 

Comissão Política Distrital de Lisboa do CDS

Ontem , tomou posse a Comissão Política Distrital de Lisboa, que é liderada por João Pedro Gonçalves Pereira, Deputado da Nação e Vereador na Câmara Municipal de Lisboa. Da concelhia de Vila Franca de Xira tomaram posse , Filomena Rodrigues na qualidade de secretária e António Martins na qualidade de vogal.

 

 

 

 

 

 

CDS- PP Concelhia de Vila Franca de Xira

ESTAMOS COM AS EXPRESSÕES VIVAS DO NOSSO CONCELHO

 

 

 

 

 

 

 

 

Assembleia de Freguesia de Vialonga

 

Célia Duarte, eleita de freguesia pelo CDS, no período de antes da ordem do dia começou por questionar o executivo da Junta de Freguesia com questões de segurança rodoviária, principalmente para os peões. 

Disse, que na rua Prof. Egas Moniz junto à agência do banco Santander, o sinal de aviso de passadeira de peões está muito perto do local de atravessamento, e que o sinal está um pouco tombado para o lado do banco. Porque a saída da rotunda imediatamente anterior é feita para esta recta, porque só existe luminária de um dos lados, porque é uma zona com actividade comercial, onde o atravessamento de peões é constante naquele ponto.

Seria importante que em primeiro lugar fosse colocado o sinal na posição vertical e se possível mudá-lo para uns metros antes de onde está para melhorar a advertência aos condutores.

 E logo que possível, deveria ser colocada uma passadeira elevada e sinalização flash na passadeira ou num sinal vertical.

 Depois na rua 1º Maio junto a uma paragem de autocarros, em frente da Quinta do Cabo, está um sinal vertical de passadeira de peões um pouco coberto pela ramagem de uma árvore, que prejudica a visibilidade de aviso aos condutores e por consequência coloca em maior risco os peões.

 No período da Ordem do Dia  

Acordos de Execução e Contratos Interadministrativos de Descentralização de Competências do Município de VFXira para a Freguesia de Vialonga.  

Começou por dizer que o contrato interadministrativo de delegação de competências já foi votado na Câmara Municipal assim como o valor das transferências, com os votos favoráveis do PS, da CDU/PCP e do PSD e a abstenção do BE.  

Sobre o contrato propriamente, afirmou que lhe pareceu aceitável, que a Câmara tivesse ficado com os trabalhos referentes ao tratamento e abate de árvores devido à exigência quer de conhecimentos técnicos, quer em muitos casos de equipamentos pesados ou específicos. 

O mesmo em relação à desmatação que em relação à nossa Freguesia pela sua própria geografia ocupa uma área considerável e que por isso deve ter custos de intervenção consideráveis para uma Junta de Freguesia como a nossa. 

Sobre a recolha de monos, ou seja resíduos de grande volume, sem cabimento nos contentores e ilhas ecológicas, que passa a ser feita pela Junta de Freguesia, questionou em que base se estimaram para ficar com este serviço, e que gostaria de saber, porque em alguns casos o trabalho pode não ser só manual, portanto a requer equipamento de apoio. 

E depois certamente que estes monos irão para um depósito local de recolha e de separação de resíduos. Será assim? Perguntou. 

A este propósito se fosse possível gostaria saber onde vão ser depositados esses resíduos para posterior valorização. 

Também em relação à verba extra que rondará os 17000€ e que pode ser usada para aquisição de equipamento onde o executivo da Junta o pensa utilizar. 

Ao terminar disse ainda , que agora que a Junta ficava  com menos competências delegadas, pode desenvolver mais e melhor serviço às freguesas e fregueses.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Alhandra, S.João dos Montes e Calhandriz

A Eleita de Freguesia Lisa Valadares Silva, logo no início da Sessão da Assembleia de Freguesia, realizada em 26.06.2018 no hall da Sociedade Euterpe Alhandrense, tomou a palavra no Período de Antes da Ordem do Dia para falar sobre o possível fecho da agência bancária da Caixa Geral de Depósitos – CGD- em Alhandra e, também a falta de reposição de ATM, equipamento mais conhecido por caixa multibanco na Calhandriz, depois do assalto e rebentamento daquele equipamento. 

Disse que tem assistido a uma preocupação constante com o possível fecho da agência da Caixa Geral de Depósitos em Alhandra.

Para depois afirmar que: – Nós também estamos contra essa tentativa de fecho do balcão da CGD em Alhandra. Mas aproveito para lembrar, porque não deve ser esquecida, a necessidade de repor a ATM, mais conhecida por caixa multibanco, na Calhandriz.

No Clube dos Cotovios ainda há uma ATM mas na Calhandriz, nada.

Se não for possível colocar o equipamento num edifício, então a Câmara Municipal, que faça um edificado próprio para a ATM num espaço público, aliás como já se vê noutros concelhos do país.

Quer em relação à agência da CGD em Alhandra, quer em relação à ATM da CGD lembro, que é um banco público portanto em último caso a palavra é de quem governa e de quem suporta a governação.

No Período da Ordem do Dia

A eleita Lisa Valadares Silva, abordou o ponto do Contrato interadministrativo e delegação de competências da Câmara Municipal para a Junta de Freguesia começando por lembrar que estes acordo assim como transferência de verbas tiveram em sede de Reunião de Câmara os votos a favor do PS, da CDU/PCP e do PSD e a abstenção do BE.

Depois referiu que a Câmara Municipal assumir a desmatação, o tratamento e abate de árvores e a gestão do pavilhão da Escola Soeiro Pereira Gomes, achou uma solução oportuna devido nuns casos haver necessidade de conhecimentos especializados e noutros equipamentos específicos ou intervenções urgentes.

Sobre a recolha dos resíduos não comportáveis nos contentores , os chamados monos, que agora passa a ser feita pela Junta de Freguesia, questionou o executivo sobre o modo como o vai fazer , e onde irá depositar a recolha para posterior valorização dos resíduos.

Terminou dizendo, que agora com menos competências delegadas o executivo desta União de Freguesias de Alhandra, S.João dos Montes e Calhandriz, fica com mais espaço para ampliar ou melhorar o serviço às populações.