EMPREGOS EM QUATRO ANOS


ImageGen.ashx«Nos últimos quatro anos, entre o segundo semestre de 2011 e o primeiro trimestre de 2015, o setor social conseguiu criar 46 mil postos de trabalho», afirmou o Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, sublinhando a importância desta área para o combate ao desemprego. Estas declarações foram feitas na comissão de Segurança Social e Trabalho, na Assembleia da República.

E acrescentou: «Nestes últimos quatro anos, este sector reforçou a rede de apoio às famílias portuguesas, afirmou-se no combate à exclusão e – para o concretizar – contribuiu para o relançamento da economia e expressivamente na criação de emprego».

«Estão já abertas as candidaturas à rede local de intervenção social, que irá decorrer até 23 de julho para 153 territórios, contando atualmente com 17 projetos-piloto no terreno», referiu ainda o Ministro, explicando que esta se trata «de uma aposta na descentralização desta resposta, indo o Governo investir 50 milhões de euros nestes projetos, a desenvolver durante três anos».

Por outro lado, «vão também ser abertas candidaturas a uma nova geração de contratos locais de desenvolvimento social, no âmbito do quadro da descentralização de competências da administração central para a administração local», afirmou Pedro Mota Soares.

«É necessário reforçar o papel dos municípios na tomada de decisão e na intervenção social nos seus territórios, motivo por que o Governo vai investir 42,5 milhões de euros para que estes projetos possam vigorar durante 36 meses. Desta forma, o País terá três vezes mais território abrangido, com 135 contratos em 135 territórios. Sempre com o mesmo objetivo principal: combater o desemprego e a pobreza», acrescentou.

O Ministro referiu ainda que, «para estes contratos, está igualmente aberto concurso até 23 de julho, devendo os projetos ter como objetivos potenciar o territórios e a empregabilidade, combater as situações críticas de pobreza, fazer a inclusão ativa das pessoas com deficiência e incapacidade, bem como promover a partilha de serviços».

Quanto à execução de tesouraria relativa a junho de 2015, Pedro Mota Soares afirmou que «a Segurança Social encaixou mais 225 milhões de euros em contribuições, face ao mesmo período do ano passado».

«Nem recuando a 2005 há memória de um primeiro semestre tão positivo, em termos de contribuições, o que marca a recuperação do emprego e dos rendimentos. Pela primeira vez, em 10 anos, as contribuições ultrapassarão os 14 mil milhões de euros», concluiu.

 

http://www.portugal.gov.pt

%d bloggers like this: