Mota Soares. Construção de equipamentos para pessoas com deficiência financiada a 100%


10933893_783453805023349_3815452820586086435_n

 

 

 

 

 

 

 

Mota Soares. Construção de equipamentos para pessoas com deficiência financiada a 100%

Por Jornal i com Agência Lusa
publicado em 3 Mar 2015 – 14:25

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social anunciou hoje que a construção de equipamentos na área da deficiência vai ser comparticipada a 100 por cento, considerando este financiamento fundamental para a sustentabilidade das instituições.

“Uma das medidas que tomámos quando iniciámos funções foi aumentar a dotação financeira para a construção destes equipamentos de 75% para 95% e mais recentemente conseguimos aumentá-la para 100% porque, enquanto resposta social, é uma prioridade, porque tem sido a área mais esquecida nos últimos anos”, afirmou Pedro Mota Soares.

Ainda segundo o ministro foram reforçados os números de acordos de cooperação da Segurança Social com instituições sociais, entre as quais as da área da deficiência, tendo atingido os 13 mil acordos assinados, contra os 12.500 que existiam em 2011.

“Conseguimos, no final de 2014 e mais especialmente no início de 2015, reforçar em 370 a rede de acordos, chegando quase a cinco mil novas respostas sociais num investimento que no ano de 2014 foi de 14 milhões de euros”, disse.

O ministro anunciou que, no quadro dos novos fundos comunitários, vai existir um programa específico para a exclusão social, destinado a apoiar equipamentos sociais para deficientes, como é o caso de lares, com um montante financeiro disponível de 2500 milhões de euros.

Pedro Mota Soares falava durante a inauguração de um lar residencial para pessoas com deficiência, da CerciPeniche, no concelho de Peniche.

Trata-se de um investimento de 1,2 milhões de euros, com capacidade para 24 utentes, que vai criar 12 novos postos de trabalho.

No concelho, inaugura ainda hoje o lar do Centro de Dia da Serra d’el Rei, um investimento de 900 mil euros, a que acrescem mais 160 mil na aquisição do terreno e de mobiliário.

O lar, destinado a pessoas idosas ou dependentes de terceiros, vai ter 24 camas e vai abrir 13 novos postos de trabalho

O investimento é comparticipado em 37,5% pelo Estado e 25% pelo município.

Ambos aguardam a assinatura do acordo com a Segurança Social para entrarem em pleno funcionamento e receberem utentes. O ministro adiantou que deverão ser celebrados até ao final deste mês.

http://www.ionline.pt

 

 

%d bloggers like this: