PORTAS MANTÉM A DEFESA DAS VANTAGENS DOS “VISTOS GOLD”


PORTAS MANTÉM A DEFESA DAS VANTAGENS DOS “VISTOS GOLD”
10425897_751326714902725_1004341402058506018_n
Paulo portas – O Vice-Primeiro-Ministro responsável pela criação dos “vistos gold”, mantém a defesa das vantagens deste mecanismo e da sua importância para a recuperação económica do país. Em declarações ao Expresso, o Vice-Primeiro-Ministro defende que “não pode haver tolerância nem complacência” em relação a eventuais ilegalidades ou crimes cometidos, mas distingue essa questão das virtualidades do “visto gold”, assegurando que está “à disposição do Parlamento” para dar “esclarecimentos sobre o programa em si”.
O programa dos “vistos gold” foi anunciado em 2012 por Paulo Portas, que no ano seguinte, então ainda como ministro dos negócios Estrangeiros, atribuiu o primeiro visto a um cidadão indiano. O balanço, defende o Vice-Primeiro-Ministro, que mantém a coordenação política do programa, não podia ser melhor. “Trouxe para Portugal, em dois anos, mais de mil milhões de euros e contribuiu decisivamente para superar uma profunda recessão no imobiliário. Não se deve meter tudo no mesmo saco o potencial do programa que é útil para o crescimento económico com os eventuais abusos ou crimes”. Lembra que “Portugal concorre com dez outros países europeus em políticas de atracção de investimento relacionadas com autorizações de residência” e “até por isso, é importante separar o trigo do joio: o investimento por esta via não captarmos nós, captarão outros; e as consequências positivas para a economia beneficiarão outros países, em vez de Portugal”.
Sobre os acontecimentos desta semana, Paulo Portas responde que “é prematuro fazer juízos sobre pessoas ou sistemas. A justiça deve fazer o seu trabalho”.

10501612_698581830177214_4979376628569616648_nCDSNotícias/Expresso

%d bloggers like this: