Economia/Política

11:27

“Crescimento do turismo assenta no aumento dos preços”

António Freitas de Sousa

11:27

card_adolfo_mesquita

Secretário de Estado do Turismo realça que os proveitos crescem acima das dormidas. Segundo o INE, Agosto foi um mês de recordes: registou 2,2 milhões de hóspedes.

Os proveitos totais do sector do turismo aumentaram em Agosto passado 13,8% em termos homólogos, ao mesmo tempo que as dormidas aumentaram 11,3%, segundo dados de hoje do Instituto nacional de Estatística (INE). Em declarações ao Económico, o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, referiu o ‘gap’ entre os dois valores como “o indicador mais importante para o sector, uma vez que demonstra que os turistas gastam mais, ou seja, os preços estão a subir”.

Para aquele responsável, este indicador é importante para se perceber a sustentabilidade do sector, que está a ser reforçada, ao mesmo tempo que comprova que os investimentos têm sido bem canalizados. Por outras palavras: a aposta nos mercados com maior potencial de crescimento – Brasil Estados Unidos e Europa – está ganha. “Estamos a bater recordes sobre recordes”, afirmou. E os investimentos são para continuar, com o mesmo foco: “claro que observamos mercados emergentes como a China, mas vamos continuar a apostar naqueles que se têm revelado de grande potencial para gerar turismo em Portugal”, disse Adolfo Mesquita Nunes

Os estabelecimentos hoteleiros portugueses registaram 7,1 milhões de dormidas (para 2,2 milhões de hóspedes) em Agosto passado, valor que corresponde a um acréscimo homólogo de 11,3% e de 9,4% em relação ao anterior mês de Julho, revelam dados do Instituto nacional de Estatística (INE). As dormidas de residentes aumentaram 16,1%, superando o acréscimo de Julho (15,4%), tal como as de não residentes (mais 8,6% em Agosto face a mais 6,9% em Julho).

Segundo o INE, “dos principais mercados emissores destacaram-se as evoluções positivas do Brasil, Bélgica e Espanha; em sentido oposto assinala-se a redução no mercado holandês, com menos 0,7%”.
A taxa de ocupação por cama atingiu os 72,4%, um valor superior à de Agosto do ano anterior (67,8%).

“Destacaram-se os acréscimos nas dormidas em pousadas (mais 17%) e nos hotéis (14,6%), tendo estes abrangido 60,9% do total de dormidas. Os aldeamentos e os apartamentos turísticos registaram aumentos de 11,3% e 8,2%, respectivamente, e os hotéis-apartamentos de 5 estrelas foram a única categoria com redução no número de dormidas (menos 7,7%)”, informa ainda o INE.

As dormidas em Agosto aumentaram expressivamente em todas as regiões, tal como no mês anterior, destacando-se o Alentejo (16,6%), Lisboa (15,2%) e Centro (14,3%).

 

http://economico.sapo.pt/noticias/crescimento-do-turismo

 
Anúncios

Governo e outras entidades assinam compromisso contra desperdício alimentar

Governo e outras entidades assinam compromisso contra desperdício alimentar

15 Outubro 2014 // Nuno Noronha // Notícias // Lusa

Os municípios e entidades ligadas à educação, economia, saúde, agricultura e solidariedade social vão aderir na quinta-feira a um compromisso para tentar reduzir o desperdício alimentar, anunciou hoje o secretário de Estado da Alimentação.

a8258db4732e697ba26c80800af5d4a2ac0de

“É um compromisso que corre toda a sociedade e responsabiliza todos os segmentos” e irá ser proposto um conjunto de medidas e sugestões para que o comabte ao desperdício alimentar “seja mais lato”, acrescentou Nuno Vieira e Brito, em declarações á agência Lusa.

O documento será assinado na quinta-feira, Dia Mundial da Alimentação, em Lisboa, durante o Fórum “Inovação Agroalimentar: Oportunidades e Desafios no Combate ao Desperdício”, uma iniciativa que irá juntar em debate investigação, produção, transformação, distribuição, restauração, defesa do consumidor e organizações não governamentais (ONG).

“Irá ser assinado um compromisso ético relacionado com o desperdício alimentar”, com a presença da ministra da Agricultura, Assunção Cristas, e diferentes entidades governamentais de vários ministérios, da educação è economia, passando pela solidariedade social ou pela saúde, e entidades como a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) ou a Direção Geral do Consumidor.

Com o objetivo de trabalharem para a redução do desperdício alimentar também aderiram ao projeto entidades privadas como a Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares, a Confederação dos Agricultures Portugueses (CAP), Confagri (cooperativas agrícolas), Condeferação Nacional da Agricultura (CNA), a associação de defesa do consumidor DECO, União das Misericórdias Portuguesas ou Banco Alimentar Contra a Fome, Associação Nacional de Municípios Portugueses e estabelecimentos do ensino superior.

O dia vai ser dedicado ao desperdício alimentar, com debate e várias apresentações relacionadas com algumas boas práticas para reduzir o desperdício alimentar nas áreas da produção, distribuição ou da segurança social, resumiu o secretário de Estado da Alimentação.

Durante o fórum serão apresentados projetos “muito positivos e que têm reduzido de uma forma muito clara” o desperdício alimentar, acrescentou Nuno Vieira e Brito.

Para os responsáveis governamentais, a produção e a distribuição são duas áreas que entendidas como fundamentais na tarefa de reduzir o desperdício de alimentos.