Posse dos Orgãos Concelhio Locais de Vila Franca de Xira do CDS-PP


Decorreu ontem a tomada de posse dos Orgãos Concelhios Locais de Vila Franca de Xira do CDS-PP. Este acto decorreu na presença do presidente do partido Dr.Paulo Portas , acompanhado pelo presidente da distrital de Lisboa Dr. Telmo Correia e do Secretário- Geral Dr.António Carlos Monteiro .

10713001_10204013736738039_7266862296609754683_n[1]

O Dr. Carlos de Jesus Mendes , presidente da Mesa do  Plenário de Militantes deu posse aos vários Orgãos Concelhios.

Transcrevemos passagens do discurso de Filomena Rodrigues , eleita presidente da comissão política concelhia

10636121_10204013729537859_1812677708583264233_n[1]

“Aproveito a presença de todos quantos vivem no nosso concelho para referir exemplos de medidas com impacto no concelho de Vila Franca de Xira, desenvolvidas por militantes do nosso partido que têm funções governativas.

Começo pelo nosso presidente Dr. Paulo Portas e pelas Oficinas Gerias de Material Aeronáutico – as OGMA.

Em 2002 quando assume o exercício de Ministro da Defesa, as OGMA apresentavam um prejuízo de 69 milhões de euros e na véspera da tomada de posse como ministro da defesa a situação era tão caótica na empresa que não havia dinheiro para pagar os salários aos trabalhadores.

Foi o Dr. Paulo Portas que ordenou, que de imediato fossem pagos os salários, e começou naquele dia a trabalhar para resolver a situação desta indústria aeronáutica.

Em 2004 a OGMA é privatizada.Em 2007 começam a aparecer os lucros.A senda de desenvolvimento e lucros continua, e a empresa passa a distribuir parte desses lucros pelos trabalhadores.

Só nos anos de 2011 a 2013 distribui pelos colaboradores 4 milhões e 600 mil euros.

1901344_10204013749618361_5248297960841586606_n[1]

No ano passado, Paulo Portas consegue um novo programa de apoio ao investimento e emprego e as OGMA investem 34 milhões de euros e criam mais 180 postos de trabalho.

Isto é uma marca CDS no nosso concelho, criar riqueza e gerar emprego.

Agora passo á acção social e ao trabalho desenvolvido pelo nosso Ministro Pedro Mota Soares, e começo por aqui mesmo, por esta casa onde nos encontramos, a CERCIPÓVOA, que é um bom exemplo.

Quando Pedro Mota Soares foi para o ministério, esta casa, que suporta através de várias valências o apoio a mais de 700 crianças – jovens e adultos, e que tem 27 pessoas em regime de internamento total por multi – deficiência.

Actualmente ao serviço desta IPSS estão 140 colaboradores e, uma direcção que ao iniciar funções encontrou esta casa praticamente falida, devido a uma anterior gestão desastrada. O seu fecho implicaria um drama social incomensurável.

Foi através do PES – Programa de Emergência Social elaborado por Pedro Mota Soares e usando a alavanca do fundo de socorro social, que começou a ser feita a recuperação desta Instituição. Depois usufruiu da alteração legislativa e abriu o Lar Autónomo para residentes com autonomia controlada. Também tal como outras IPSS’s teve acesso a um recurso trabalhado pelo ministério, direccionado para um crédito de baixo juro.

A CERCIPÓVOA foi das primeiras IPSS’s a aderir e a colocar em funcionamento uma Cantina Social e através dela continua a apoiar 100 famílias desta freguesia.

Agora para completo saneamento financeiro e para poder continuar o seu meritório e exemplar trabalho em prol essencialmente dos mais frágeis da sociedade, recebeu um apoio subsidiado.

Mas outras instituições do nosso concelho foram apoiadas pelo trabalho incansável do Ministro Pedro Mota Soares.

A APATI da Castanheira do Ribatejo, IPSS importante desta freguesia, recebeu um primeiro apoio de 40 mil euros do fundo de socorro social e agora outro do FRRS, a Misericórdia de Alverca pode colocar mais camas para os idosos. O CASBA pode aumentar o número de bebés em berçário e várias cantinas sociais foram abertas. Isto só para referenciar algumas instituições que têm vindo a beneficiar com apoios directos ou com alterações legislativas.

A acção social tem marca CDS no nosso concelho. Protecção dos mais frágeis e, nunca deixamos ninguém para trás.

Na agricultura, recordo a primeira saída de trabalho da Ministra Assunção Cristas, que foi à Lezíria Grande de Vila Franca de Xira para ao abrigo do PRODER entregar uma máquina colhedora de tomate a uma jovem agricultora.

A segunda visita que fez ao nosso concelho foi para entregar diplomas de final de formação, a jovens agricultores do Ribatejo – nessa sessão, A Ministra da Agricultura incentivou os jovens a entregarem-se ao trabalho para alcançarem os objectivos.

A prova real é bem visível, o mundo rural foi transformado e trabalhado de uma maneira inovadora.

A marca CDS na agricultura e também no nosso concelho é de um sinal mais. Mais Juventude, Mais criatividade, Mais empreendorismo.

O resultado está à vista e é um sucesso indiscutível.

A área da economia liderada pelo Ministro Pires de Lima também está a realizar, entre outras, uma obra de vulto que vai beneficiar o nosso concelho.

Refiro – me ao PETI – Plano Estratégico de Infra – Estruturas e Transportes. Um investimento prioritário, que privilegia o Sector Portuário e a melhoria de navegabilidade e descontaminação do estuário do Tejo, no Seixal e em Alhandra. Investimento de 90 Milhões euros, sendo 72Milhões euros de Fundo Comunitário.

O trabalho em obra ocupará todo o ano 2015 e no inicio de 2016 estará pronto. Em mais de trinta anos ninguém fez algo de tanta envergadura no estuário do Tejo.

A navegabilidade vai permitir à CIMPOR em Alhandra o carregamento directo do cimento em barcos, acabando com o transbordo através de barcaças e resolvendo em definitivo a instabilidade nos carregamentos e aumentando a exportação.

Mais uma marca CDS no nosso concelho. Promoção do desenvolvimento através de uma economia competitiva e virada para a exportação.

10685589_10204007344778244_1500854578661613813_n[1]

Seria bom, que estas atitudes de trabalho tendo em vista o desenvolvimento e visão de futuro, tivessem correspondência por quem temporalmente dirige o nosso concelho. Mas infelizmente não têm. Um concelho com boas acessibilidades, por rodovia, ferrovia, via fluvial e com um aeródromo, pouco ou nada têm feito para atrair investimento e tornar o concelho competitivo. Não dão um apoio efectivo ao empreendorismo jovem, não investem na criação de um parque tecnológico. Já nem sequer falam no Cluster aeronáutico pelo qual pouco fizeram, deixando sair o conhecimento e o saber fazer de Alverca – cidade berço da aviação portuguesa.

O turismo neste concelho é uma nulidade.

O concelho de Vila Franca de Xira foi contemplado generosamente pela natureza, mas muito pouco tem sido aproveitado, a começar pelo rio Tejo e o seu estuário.

Atrair e competir são palavras desconhecidas na Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

10347689_10204013735418006_4500119403876487673_n[1] (2)

Nós, CDS – PP em Vila Franca, trabalhamos e apresentamos programa e projectos.

Desde 2011 que nos temos vindo bater para que parte do IRS recebido pelo Município seja devolvida aos munícipes. Tal como dissemos na apreciação do documento orçamental em curso o município ia receber mais dinheiro e efectivamente recebeu, e muito!

Agora distribui-lo pelos munícipes – Zero.

O município recebeu também muito mais dinheiro proveniente da derrama, mas isentar as empresas que criem três postos de trabalho e os mantenham, pelo menos durante cinco anos – Zero.

Também nos temos vindo a bater pela criação de um gabinete de apoio à vítima em parceria com a APAV.

Não só porque entre Lisboa e Santarém não existe nenhum, mas principalmente porque estamos num concelho onde só para falar de quatro das seis freguesias e na área de acção da PSP temos registo de praticamente um episódio de violência doméstica por dia.

Uma Câmara que anda sempre a apregoar, que não tem problemas financeiros, não se dispõe a usar anualmente 30mil euros para proteger as vítimas de violência.

Em relação à demografia fomos o único partido no concelho a desenvolver este tema no programa eleitoral e recentemente apresentámos uma recomendação na assembleia municipal para a criação de um programa de apoio à natalidade destinado a casais jovens residentes no nosso concelho há mais de um ano.

Um programa elaborado de modo a compaginar o incentivo á natalidade com o enraizamento no nosso Concelho entrosando o valor a atribuir entre uma parte em dinheiro e outra em títulos a usar no comércio local. Até agora nem resposta.

Não nos podemos arredar das dificuldades a que fomos e, ainda somos submetidos pelo facto de participarmos no governo da Nação, que se confrontou uma vez mais com a  herança do PS, que colocou o País na beira da bancarrota e que por isso levou os portugueses a sacrifícios inesperados e rigorosos.

No concelho de Vila Franca de Xira a esquerda radical ainda se move com o insulto, fizeram-no no passado numa sessão solene de comemoração da Liberdade em 25 Abril em plena Assembleia Municipal – não me amedrontei nem eu, nem todos nós no CDS. Enfrentei a gritaria dando continuidade ao discurso de verdade e de democracia. Na mesma sessão solene em que o protocolo se alterou pelos cantantes da Grândola e em que me mantive sentada.

Nada nos amedronta, nada nos fará deter e daremos continuidade ao nosso trabalho como democratas cristãos e de centro de direita neste concelho  em que nem o sol ribatejano nos fará parar no trabalho junto das pessoas.”

Viva o CDS 

Viva sempre Portugal

1545037_10204013770938894_8350505261268117557_n[1]

 Orgãos Concelhios de Vila Franca de Xira do CDS-PP e da Juventude Popular de VFXira

 

 

 

 

 

%d bloggers like this: