Pires de Lima «confiante na continuidade do processo de recuperação económica»


limacristasalquevaO Ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou estar «confiante na continuidade do processo de recuperação económica» e acrescentou que a «economia portuguesa vai crescer em 2014», e «o desemprego, de uma forma gradual, vai continuar a decrescer». A descida do desemprego «é uma batalha que nos deve mobilizar a todos, porque o desemprego é muito alto em Portugal, mas tem vindo, felizmente, a descer e é importante que continue a descer», acrescentou.

O Ministro proferiu estas declarações em São Brissos, Beja, na cerimónia de inauguração do adutor Pisão-Beja, a que presidiu juntamente com a Ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, um investimento de cerca de 37,1 milhões de euros que irá garantir a adução de água à barragem dos Cinco Reis e servir 10 700 hectares de dois blocos de rega do projeto do Alqueva.

Pires de Lima afirmou que acredita numa economia portuguesa «baseada no casamento saudável entre investimento público reprodutivo, do qual o Alqueva é um belíssimo exemplo, e a vontade empreendedora, que crescentemente se manifesta em Portugal e de uma forma muito particular no setor agrícola e agroindustrial».

A recuperação da economia, afirmou o Ministro, «vive da força das exportações» da competitividade de múltiplos setores da nossa economia, e da capacidade de continuarmos a atrair investimento qualificado e responsável para Portugal, acrescentando que «essa é a minha luta, a minha prioridade.

A Ministra da Agricultura, Assunção Cristas, reiterou que os anos de 2014 e 2015 «vão ficar marcados na história de Portugal como os anos em que mais regadio se instalou no País», tratando-se de «cerca de 50 mil hectares» que estão ou vão ser instalados este ano e em 2015 só na região do Alqueva. «Para não falar de outras áreas do País, onde os regadios públicos continuam a bom ritmo», acrescentou a Ministra que anunciou na passada semana um investimento em regadio na zona de Óbidos.

Assunção Cristas referiu que o regadio é uma «ferramenta incontornável» para o «desenvolvimento profundo» da região do Alqueva e, «naturalmente, para ajudar à recuperação económica» de Portugal.

O Ministro da Economia informou ainda que a legislação sobre aumento da limitação do transporte de carga de produtos hortícolas e suínos «já está na fase final» e irá ser aprovado em Conselho de Ministros.

Trata-se de uma «ambição que muitos agricultores têm» de que o limite de carga no transporte de alguns produtos hortícolas, como tomate e uva, e de suínos, possa ser «aumentado de 40 para 60 toneladas», à semelhança do que já está em vigor para produtos da floresta.

É uma «medida simples que visa dotar a agricultura e a agroindústria de uma maior competitividade, uma maior simplicidade e racionalidade de custos na área dos transportes».

Fonte: Portal do Governo

 

 

 

%d bloggers like this: