Montante – Governo assegura sete milhões para equipamento de bombeiros

O secretário de Estado da Administração Interna, João Pinho de Almeida, assegurou hoje um montante de sete milhões de euros, para permitir o equipamento de proteção individual dos bombeiros.

 bombeiros

João Pinho de Almeida disse na Assembleia da República, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, que o concurso será lançado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Na presença do ministro de Administração Interna, Miguel Macedo, o secretário de Estado salientou ainda alterações na formação de bombeiros, aumentando o número de ações dos corpos de bombeiros e descentralizando-as.

O membro do Governo frisou que também os conteúdos das formações foram revistos, notando que “mais bombeiros serão formados ao nível do comportamento do fogo”, assim como os chefes de equipa, para que “haja uma maior articulação com os comandos”.

João Pinho de Almeida aludiu a um programa de formações externas, que inclui ações para comando em França (equipas de bombeiros francesas estarão igualmente em Portugal) e de elementos dos meios aéreos.

Em 2013, os incêndios florestais em Portugal causaram nove mortos, oito bombeiros e um autarca.

O número de bombeiros mortos no ano passado em combate – mais quatro do que em 2012 – ultrapassou a média anual de três mortes, verificadas desde 1980.

Um inquérito pedido pelo Governo apontava falha humana nas mortes e indicava que os bombeiros negligenciaram a forma de actuação, ao violarem regras de segurança, em sete dos oito casos mortais.

Dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas referem que os fogos consumiram 145.385 hectares, mais 31,8 por cento do que em 2012.

http://www.noticiasaominuto.com/pais/190364/governo-assegura-sete-milhoes-para-equipamento-de-bombeiros

 

Anúncios

Portugal entre os Estados do euro com maior aumento na criação de emprego no último trimestre de 2013

20140314Portugal e a Irlanda são os países da zona euro com o maior crescimento na taxa de criação de emprego (0,7%) no último trimestre de 2013 em relação ao trimestre anterior (comparação em cadeia), segundo dados do Eurostat. A criação de emprego subiu, assim, pelo terceiro trimestre consecutivo: no 2.º tinha crescido 0,7%, e no 3.º tinha crescido 0,8%.

Entre os Estados-membros da União Europeia só a Lituânia suplantou os valores alcançados por Portugal e pela Irlanda, com um crescimento de 1% na taxa de criação de emprego no 4.º trimestre de 2013.

Na comparação homóloga (entre o último trimestre de 2013 e  o mesmo período de 2012), Portugal registou também um crescimento da taxa de criação de emprego no valor de 0,5%. Este dado é tanto mais significativo quanto as variações homólogas dos trimestres anteriores tinham sido de -5,2% (1.º trimestre), -4% (2.º trimestre) e -2,4% (3.º trimestre).

No conjunto dos países da zona euro o emprego também aumentou no 4.º trimestre, com uma evolução positiva de 0,1% face aos três meses anteriores, sendo o segundo trimestre consecutivo de evolução positiva. No conjunto da União Europeia o aumento foi também de 0,1%.

O gabinete de estatística da UE estima que no 4.º trimestre o número de pessoas com emprego tenha aumentado para 223,6 milhões, enquanto na Zona Euro terá crescido para 145 milhões. Contudo, globalmente, em 2013, o emprego recuou 0,9% na zona euro e 0,4% na União Europeia, contra 0,7% e 0,2%, respetivamente, em 2012.

Fonte: Portal do Governo