Pedro Mota Soares – Contratos sociais com autarquias e instituições vão criar 400 empregos


O ministro da Solidariedade e da Segurança Social disse hoje em Fátima que os Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS) vão gerar 400 postos de trabalho diretos, combater o desemprego resistente e responder aos fenómenos de pobreza infantil.

15950334Contratos Sociais“Nós prevemos que vamos poder criar diretamente cerca de 400 postos de trabalho de técnicos que (…) vão agora realizar estes projetos”, permitindo, “em situações de catástrofe, encontrar respostas para territórios que são diretamente afetados por essas mesmas calamidades”, sustentou Pedro Mota Soares.

A primeira cerimónia de assinatura do compromisso dos CLDS teve lugar hoje em Fátima, no Centro Social João Paulo II, da União das Misericórdias Portuguesas, abrangendo, para além das instituições de solidariedade social, mais de 60 câmaras municipais das regiões norte e centro do país.

No total, para os CLDS serão disponibilizados cerca de 20 milhões de euros oriundos de fundos comunitários, estando prevista uma segunda cerimónia para a próxima semana, no Algarve, de forma a completar os acordos com 80 autarquias.

“Numa altura em que sabemos que temos de concentrar o nosso esforço e a nossa energia no combate ao desemprego – o maior problema que o país tem –, temos a certeza de que estes contratos vão ser um estímulo importante em territórios deprimidos que têm taxas de desemprego muito elevadas e fenómenos de pobreza muito persistentes”, salientou o governante.

Pedro Mota Soares adiantou que a qualificação de desempregados de longa duração e a criação do próprio posto de trabalho são apostas destes projetos que querem dar “uma resposta de proximidade com parceiros locais”.

O ministro da Solidariedade e Segurança Social lembrou que “antes um contrato de desenvolvimento local demorava nove meses a ser formalizado” e que agora o prazo foi reduzido “para apenas três meses”.

http://www.noticiasaominuto.com

%d bloggers like this: