É necessário dar sustentabilidade económica e financeira ao setor das águas e resíduos


cristas_arA Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, afirmou que há um «grande desequilíbrio económico e financeiro» nas águas e resíduos sólidos, no debate parlamentar sobre proposta de lei que abre a possibilidade de subconcessões de sistemas multimunicipais de águas e de saneamento a empresas privadas, permitindo também a concessão de sistemas multimunicipais de resíduos sólidos urbanos a entidades de capitais maioritária ou totalmente privados.

Assunção Cristas referiu que o grupo Águas de Portugal tem 42 empresas, três mil milhões de euros de dívida, um défice tarifário de centenas de milhões de euros e as dividas às autarquias superam os 500 milhões de euros, além de existir «uma grande iniquidade quando comparamos os preços no litoral e no interior», pelo que a proposta de concessão do serviço «é fundamental para devolver sustentabilidade económica e financeira ao setor e diminuir a dívida», além de garantir «meios para fazer os investimentos que também faltam no País».

«Se não se reestruturar, fundir em alta, caminhar para a verticalização, teremos aumentos de água muito maiores, para dar sustentabilidade ao sistema», afirmou a Ministra.

 

Fonte: Portal do Governo

%d bloggers like this: