CDS-PP diz que inclusão da vacina pneumocócica no plano nacional evita “injustiça social”


163297_4109299974407_2135263899_n[1]

A deputada do CDS-PP Teresa Caeiro defendeu hoje que é “uma injustiça social” que a vacina pneumocócica só esteja acessível a famílias com recursos financeiros, justificando a recomendação dos democratas-cristãos para a sua inclusão no plano de vacinação.

“Cada uma das três tomas custa mais de 70 euros, o que cria uma grande injustiça social, porque só as crianças de agregados familiares com maiores recursos financeiros fazem as três tomas”, disse Teresa Caeiro à Lusa. 

A vacina pneumocócica é indicada sobretudo a crianças até aos dois anos, podendo evitar formas de infeção grave, como a meningite, pneumonia e septicemia, e tem uma eficácia superior a 90%, apontou Teresa Caeiro. 

O plenário da Assembleia da República discute na quarta-feira um projeto de resolução do CDS-PP que recomenda ao Governo que “estude a possibilidade da inclusão da vacina pneumocócica no plano nacional de vacinação”. 

O BE apresenta igualmente um projeto de resolução recomendando a inclusão desta vacina no plano de vacinação, a par de uma recomendação ao Executivo para que analise “o custo-benefício da inclusão da vacina contra o rotavírus no programa nacional de vacinação”. 

Teresa Caeiro reconhece o custo elevado da vacina mas sublinha que “prevenir é sempre melhor que tratar”, tanto do ponto de vista do sofrimento humano como dos custos para o Serviço Nacional de Saúde, apontando ainda que, quando as vacinas são incluídas nos planos de vacinação, a sua compra pelo Estado em grandes quantidades acaba por diminuir o preço entre 25 a 30%. 

A vacina já é disponibilizada a grupos considerados de risco, como portadores de HIV e síndrome de Down, entre outras patologias. 

http://sicnoticias.sapo.pt  com Lusa

imagem pedro salgueiro

 

Anúncios
%d bloggers like this: