Na Euronews o serviço em português vai continuar.


Na Euronews o serviço em língua portuguesa vai continuar, tal só foi possível graças principalmente ao empenho e determinação de José Ribeiro e Castro,  primeiro subscritor de uma petição pública, tal movimentação levou a Comissão Europeia a manter o serviço na nossa língua. No momento difícil que atravessamos revela-se ainda de maior importância termos alcançado tal objectivo, quer pela defesa da nossa língua mas também como motor de  desenvolvimento da economia a ela associada.

 

Transcrevemos na íntegra o despacho da Lusa/Sol

Deputados satisfeitos com manutenção do serviço em português na Euronews

31 de Julho, 2012

Os presidentes das comissões parlamentares da Educação, Ciência e Cultura e da comissão de Ética, Cidadania e Comunicação manifestaram hoje o contentamento sobre a manutenção do serviço em língua portuguesa na Euronews.

«Fico muito contente que este processo tenha chegado, para já, a bom termo e queria agradecer a compreensão que a Comissão Europeia nesta matéria e que permitiu a Portugal, na situação económica particularmente difícil que atravessa, manter o serviço em português na Euronews», afirmou à Lusa o deputado centrista José Ribeiro e Castro, presidente da comissão parlamentar da Educação, Ciência e Cultura.

José Mendes Bota manifestou o seu «regozijo» e prestou «homenagem» a Ribeiro e Castro. «Foi ele que deu o primeiro passo, é o primeiro signatário de uma petição que a nossa comissão subscreveu, e ainda segue o seu curso no Parlamento».

«Creio que acabámos por conseguir transmitir à parte política portuguesa um conjunto de informações que não estavam a ser transmitidas», concluiu o presidente da comissão parlamentar para a Ética, Cidadania e Comunicação.

José Ribeiro e Castro considerou que a assinatura do contrato entre a Comissão Europeia e a Euronews «é muito importante para que a projecção internacional da língua portuguesa e dos conteúdos lusófonos possa continuar sem quebras».

O deputado centrista manifestou ainda a «esperança de que Portugal consiga encontrar soluções para que a presença portuguesa nesta grande montra internacional não volte a estar em causa» e criticou «aqueles que falam da Euronews com ligeireza e ignorância».

O acordo, assinado na passada sexta-feira, sublinhou finalmente Ribeiro e Castro, permite à RTP manter o seu estatuto «enquanto parceiro histórico da Euronews, bastante superior ao que lhe daria apenas a sua posição accionista [1,4 por cento do capital]».

«Esse estatuto dá à RTP uma prorrogativa de pilotagem na expansão da Euronews para outras geografias fundamentais aos interesses de Portugal, como África e a Ásia, incluindo a China», assinalou.

«A Euronews é a grande montra do noticiário europeu, merecia ser melhor conhecida, e a nossa presença vai muito além do serviço em língua portuguesa, passa também por termos aí conteúdos portugueses», rematou José Ribeiro e Castro.

A Comissão Europeia e a estação de televisão internacional Euronews assinaram na passada sexta-feira um contrato em que Bruxelas assume as responsabilidades financeiras para a manutenção do serviço em língua portuguesa na estação em 2013 e 2014.

A RTP mantém a participação de 1,4 por cento do capital da estação internacional, e portanto assume os encargos inerentes a essa participação accionista, na ordem dos 360 mil euros por ano. Já o serviço em língua portuguesa, que custa actualmente à RTP cerca de 1,7 milhões de euros, será assumido em 2013 e 2014 por Bruxelas.

 

%d bloggers like this: