Portas defende exportação de vinho e azeite português para o Brasil


O líder do CDS-PP disse hoje estar «pessoalmente empenhado» em «defender o interesse nacional» na negociação da defesa dos exportadores portugueses de vinho e azeite para o Brasil.

«Em articulação com a ministra da Agricultura, assumi a defesa dos exportadores portugueses de vinhos e azeites» para «esse grande mercado que é o Brasil», disse Paulo Portas durante uma visita à Feira Nacional da Agricultura, que decorre em Santarém até 10 de Junho.

Paulo Portas, que visitou o certame na qualidade de líder do CDS-PP, escusou-se a falar de outros temas da actualidade nacional, preferindo reafirmar a defesa da agricultura portuguesa, que mostra no certame de Santarém «a sua pujança económica, empresarial, a sua competitividade» e a sua «resiliência».

O líder centrista, que voltou a ouvir de muitos populares a designação que ganhou nas campanhas eleitorais, Paulinho das Feiras, percorreu demoradamente as naves do Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), não resistindo a provar os queijos, vinhos, licores, azeites, enchidos que enchem o salão Prazer de Provar.

Portas referiu, em particular, o empenho que, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, tem colocado na tentativa de ultrapassar as dificuldades que têm sido colocadas à exportação de vinhos e azeites portugueses para o Brasil, sublinhando que o volume anual de exportação destes dois produtos atinge os 150 milhões de euros.

Referindo o seu «orgulho» em cumprir a sua visita anual ao «maior certame agrícola do país», o líder popular realçou que, apesar da «recessão, dos constrangimentos orçamentais, da seca», o sector tem tido um «comportamento extraordinário», revelando um dinamismo que se reflecte tanto nas exportações como na procura para o investimento e na criação de emprego.

«É muito importante olhar para a agricultura não como algo do passado», mas como um sector «onde é possível gerar investimento e criar emprego», disse, deixando um apelo aos consumidores para que «comprem português».

Lusa / SOL

%d bloggers like this: