Ban Ki-moon pediu a Paulo Portas apoio de Portugal à Guiné-Bissau


O secretário-geral da Organização das  Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu ao ministro dos Negócios Estrangeiros,  Paulo Portas, a continuação do apoio de Portugal ao processo de reformas  e consolidação da paz na Guiné-Bissau. 

 Segundo nota hoje divulgada pelo gabinete de Ban Ki-moon, o pedido foi  expresso durante um encontro entre ambos na segunda-feira, nas Nações Unidas,  depois de o chefe da diplomacia de Portugal ter feito uma intervenção no  Conselho de Segurança sobre a situação no Médio Oriente, e em particular  a Síria, crise também discutida entre ambos. 

Ban Ki-moon “expressou o apreço pelo antigo apoio a Timor-Leste e às  sucessivas missões da ONU” no país lusófono, refere a nota. 

O secretário-geral da ONU também “encorajou Portugal a continuar o seu  envolvimento no apoio à agenda de reformas e de consolidação da paz na Guiné-Bissau”.

A ONU tem um escritório na Guiné-Bissau e uma missão cessante em Timor-Leste  e ambos os países vão realizar eleições em 2012. 

Outro ponto discutido entre ambos foi a recente visita do secretário-geral  da ONU a Angola. 

Nas Nações Unidas, Portas também se encontrou na segunda-feira com a  secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e com o chefe da  diplomacia russa, Sergei Lavrov. 

No Conselho de Segurança, o ministro dos Negócios Estrangeiros defendeu  que a iniciativa da ONU e Liga Árabe para a Síria, liderada Koffi Annan,  é a “última oportunidade” para impedir uma guerra civil. 

Numa altura em que decorrem consultas sobre um novo projeto de resolução,  depois dos dois vetos da Rússia e da China, Portas apelou ainda a um apoio  “público e total” dos 15 países membros do Conselho de Segurança a esta  iniciativa.    

Lusa

%d bloggers like this: