29 milhões de euros para projectos de regadio


A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, anunciou hoje que vão ser disponibilizados 29 milhões de euros para projectos de regadio, em várias zonas do país, para minimizar a exposição à seca, e admitiu que há «situações delicadas».

No final do mês de Fevereiro, a seca atingia 75 por cento do território nacional, apesar das albufeiras manterem níveis semelhantes aos anos anteriores, com água armazenada a cerca de dois terços da sua capacidade.

Numa visita ao Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas (SISAB), a ministra Assunção Cristas, adiantou que o relatório da ‘task force’ que está a acompanhar a situação vai estar pronto durante esta semana e que o Governo está «a sinalizar», junto da União Europeia, medidas de flexibilização administrativa.

«São situações que estamos a avaliar também em conjunto com as associações [de agricultores] para perceber onde temos margem quer do ponto de vista comunitário, quer internamente, para podermos ajudar, nesta fase e se as situações se vierem a agudizar», afirmou.

«Estamos a fazer um trabalho de acompanhamento, quer do lado dos prejuízos actuais e expectáveis, caso a situação continue, quer do lado das medidas que podemos accionar», declarou aos jornalistas.

Assunção Cristas sublinhou que «um dos grandes desafios da agricultura é o regadio», que o Governo quer desenvolver, e anunciou que «vão ser libertados 29 milhões de euros para projectos na área do regadio, em várias zonas do país, para que não fiquemos tão expostos à situação de seca».

Os prejuízos ainda não estão calculados, mas a ministra admite que há «situações delicadas», sobretudo na área dos pastos e produção animal, mas que podem também estar em causa algumas culturas de inverno se continuar sem chover.

Assunção Cristas adiantou ainda que está a trabalhar em conjunto com o seu colega da Administração Interna, para avaliar a situação relativamente aos incêndios e «ver o que é importante accionar» nesta altura.

«Há características específicas para várias fases relacionadas com o risco de seca e, neste momento, podemos estar já com estas características», considerou.

Lusa/SOL

 

%d bloggers like this: