PRIMEIROS PREJUÍZOS DA SECA SERÃO CONHECIDOS NA PRÓXIMA SEMANA


O primeiro relatório sobre os prejuízos da seca será conhecido na próxima semana, afirmou a Ministra da Agricultura, Assunção Cristas na inauguração da eletrificação da Serra de Serpa. O grupo de trabalho criado pelo Ministério da Agricultura para avaliar a situação da seca está «a trabalhar intensamente para fazer o levantamento de tudo o que são os prejuízos já existentes e aqueles que previsivelmente ocorrerão» e «reunir com as organizações de agricultores para também trocar impressões com todos e já com o panorama do País mais explicado», afirmou a Ministra.

Seguidamente, o Governo irá apresentar a situação à União Europeia e ver «a hipótese de acionar mecanismos europeus, nomeadamente para antecipar ajudas» aos agricultores. O Governo precisa de «ter dados muito concretos» porque «não podemos simplesmente dizer a Bruxelas: não chove e temos prejuízos».«Temos que dizer onde é que eles estão, quais são em concreto e é esse trabalho de colher toda a informação objetiva e fidedigna que estamos a fazer», acrescentou.

A Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território visitou a eletrificação rural da Serra de Serpa, pela qual sessenta casas e explorações agrícolas da Serra de Serpa já têm eletricidade, num investimento de cinco milhões de euros para levar luz a 246 clientes até final deste ano. A eletrificação da Serra de Serpa constitui mais um passo, do lado do Governo, para criar condições de desenvolvimento para pessoas e empresas, o que se traduzirá em ganhos de valor, mas também em equilíbrio e coesão territorial, assim como de garantia de manutenção do espaço rural humanizado que carateriza e dá valor à região e ao País.

A primeira fase da eletrificação da Serra de Serpa permite fornecer desde já energia a mais de 50 empresas do sector agrícola. A área de intervenção compreende um conjunto de 54 explorações agro-florestais e de 6 pequenas agro-indústrias. A segunda fase do projeto, que já está a decorrer e deverá terminar no próximo mês de Dezembro, vai permitir instalar 150 quilómetros de redes de baixa e média tensão e 60 postos de transformação para ligar mais 186 fogos isolados e explorações agrícolas à rede elétrica nacional.

O projeto, num investimento global de cinco milhões de euros, é financiado por fundos comunitários, através de uma candidatura apresentada ao Programa de Desenvolvimento Rural (Proder 3 343 472 €) pela EDP em parceria com a Câmara de Serpa e o apoio da Associação de Agricultores do Concelho de Serpa.

%d bloggers like this: