As Esquerdas e o Serviço Nacional de Saúde – SNS

Intervenções da Deputada da Nação Isabel Galriça Neto sobre a atitude atual das esquerdas face ao que se está a passar no Serviço Nacional de Saúde

 

Um a um, os pressupostos vão-se esfumando

13620124_1230044433672505_7335909229242036757_n

Um a um, os pressupostos vão-se esfumando

 

 

Todos os dias, todos, ouvimos os defensores do atual Governo, para justificar os seus maus resultados na economia, que, ao menos, com este Governo, o Estado Social não está em causa. Ou seja, este Governo pode não por o país a crescer tanto como o nosso Governo pôs, mas, ao menos, dizem eles, o Estado Social está a salvo.

Deixemos de lado a circunstância de não haver Estado Social quando estamos perante um Estado falido. Esse argumento, que temos usado, deve ser repetido até à exaustão. Mas junto agora quatro novos dados, muito recentes, que ajudam a demonstrar que, ao contrário do que por aí se diz, o Estado Social esteve em causa connosco. Estes quatro dados, que não devem ser esquecidos, são os seguintes:

a) O INE confirmou uma descida acentuada da desigualdade em 2014 e 2015. Ao contrário do que defende a esquerda, o nosso Governo conseguiu, na sua governação, reduzir as desigualdades.

 b) A OCDE, através do PISA, confirmou melhorias na educação em 2015. Ao contrário do que defende a

nas suas reformas, conseguiu reforçar a qualidade do nosso sistema de educação e, pela primeira vez, assistimos a resultados acima da média da OCDE por parte dos nossos alunos.

c) Um estudo da OCDE confirma qualidade da reforma laboral do nosso Governo. Não surpreende, por isso, que o desemprego em Portugal continue a descer, sinal de que, ao contrário do que dizia a esquerda, as nossas reformas não se traduziram numa via verde para o desemprego, mas, ao invés, reformas que favoreciam o emprego.

d) Paulo Macedo foi convidado pela esquerda para presidir ao Conselho de Administração da CGD. Se acaso ele tivesse sido, como dizia a esquerda, o destruidor do SNS, este convite nunca teria surgido.

Como se vê, só nas últimas semanas, praticamente todos os pressupostos das esquerdas unidas (defesa da escola pública, fim da austeridade, combate às desigualdades) se esfumaram em apenas um ano.

E assim entraremos em 2017.

Adolfo Mesquita Nunes

Vice-Presidente CDS-PP

Editorial da Folha CDS

Nuno Melo analisa a atuação do último ano do governo das esquerdas

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal

fotoam28-12-16

Realizou-se ontem (28.12.16) uma Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Vila Franca de Xira. Da Ordem de Trabalhos constavam 18 pontos , a maioria dos pontos destinavam-se à aprovação de compromissos plurianuais .

Em relação a um dos pontos referentes a um Contrato – Programa Desenvolvimento Desportivo a celebrar com a Federação Portuguesa de Natação para apoio à actividade física e desportiva nas piscinas do concelho a eleita municipal do CDS-PP, Filomena Rodrigues  quis ser esclarecida sobre a cláusula quinta do contrato , principalmente no seu ponto 3 porque  no descritivo de obrigações não está clarificada quem tem a obrigação de assegurar a vigilância e assistência nas piscinas.

E que estão obrigadas com a presença de nadadores – salvadores, com reconhecimento e certificação do Instituto de Socorros a Náufragos, conforme a Lei 68/2014, principalmente no seu artigo 31.

Em função da resposta dada pelo executivo camarário votou contra , por considerar uma  omissão grave no contrato a quem cabe a responsabilidade de assegurar a vigilância e assistência nas piscinas municipais e, apresentou declaração de voto.

Depois em relação ao ponto que propunha a contratação por ajuste directo, em regime de prestação de serviços de três técnicas para a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de VFXira. Começou por referir que na última sessão da AM abordou questões referentes à CPCJ de VFX. Tendo na resposta a Sr.ª vereadora Fátima Antunes remetido que poderia ter esclarecimento na Plataforma Nacional.

Depois Filomena Rodrigues afirmou que,na altura não teve oportunidade de contraditório, porque o Sr.Presidente da AM não lhe deu a palavra. No entanto nesse momento deu a palavra a um munícipe inscrito fora do horário e durante oito minutos.Porque o que  teria dito era que conhecia os números do relatório da plataforma nacional referentes à CPCJ de VFXira e que foi uma das causas pelo qual levantou esta questão.

No Relatório Nacional do ano 2015 refere que o Volume Processual Global (VPG) registou 1156 processos dos quais 653 foram novos. Por isso devido a tal volume processual a CPCJ de VFXira está referenciada no quadro onde estão registadas as CPCJs com maior volume processual global.

E face a tal volume processual a repartir por 3 técnicas, que ronda um número superior a 385 por técnica, acham que é possível desenvolver um trabalho em tempo e com um referencial de acompanhamento capaz que cada processo necessita.

Boas Festas

natal16

natal16

Cortes e Escândalos no Serviço Nacional de Saúde

*******************************************************************************************************************************

Num hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS) ficaram doentes dois dias sem alimentação e sem acesso a medicação
CDS requer audição urgente da Bastonária da Ordem dos Enfermeiros na Comissão Parlamentar de Saúde
Em declarações tornadas hoje públicas, a Bastonária da Ordem dos Enfermeiros afirma que num hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS) ficaram doentes dois dias sem alimentação e sem acesso a medicação.
Alegadamente, e de acordo com as declarações da Bastonária, tal facto deve-se à escassez de profissionais e de recursos no SNS, face à elevada afluência que se regista nesta altura do ano.
Referindo que “isto é uma denúncia concreta que recebemos dos profissionais que querem manter a segurança dos seus doentes”, a Bastonária não concretiza, no entanto, em que hospital do SNS ocorreu esta situação.
Ora, a confirmar-se esta denúncia, o Grupo Parlamentar do CDS-PP entende que estamos perante uma situação gravíssima que urge clarificar e esclarecer cabalmente.
Neste sentido e, ao abrigo dos Artigos 102º e dos números 1, 2 e 3 do 104º do Regimento da Assembleia da República, o CDS-PP requereu a audição na Comissão Parlamentar de Saúde da Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, com o objetivo de explicar as afirmações que proferiu relativamente à existência de doentes que ficaram dois dias sem alimentação e sem acesso a medicação num hospital do SNS.

Governo desperdiça 28 milhões de euros de ajuda alimentar

O Governo não executou um programa europeu que em 2015 apoia aproximadamente 400 mil portugueses. O fundo de auxílio às pessoas mais carenciadas ajuda a instituições de solidariedade a distribuir comida. Comentário de Pedro Mota Soares, ex-ministro da Solidariedade Social e Emprego – TVI